Academia SCB

Academia do Sporting Clube de Braga já tem maquete e vai ser apresentada aos associados [Correio do Minho, 25-06-2015]

braga

Projecto da Academia do Sporting Clube de Braga já está em marcha e será uma realidade em Julho de 2016, a data prevista para a sua inauguração e entrada em funcionamento. Enquanto se formalizam ainda vários pormenores, entre o clube e a Câmara Municipal de Braga, relativamente à permuta de terrenos, licenciamento da obra e demais procedimentos legais imprescindíveis para o arranque das obras da Academia, começam já a ser conhecidas algumas novidades do mega-projecto que promete dotar a cidade dos arcebispos de um dos melhores e mais modernos complexos desportivos do país e da Europa.

Governo autoriza ajudas públicas à academia do Sporting de Braga [Jornal de Negócios, 11/04/2016]

O Governo reconheceu o “interesse público” na construção da academia de futebol do Sporting Clube de Braga, um projecto com um custo a rondar os 12 milhões de euros que está a ser edificado no Parque Norte, junto ao estádio municipal, e inclui o centro de formação e um pavilhão multiusos.

Na prática, o estatuto agora conferido excepciona o emblema minhoto da limitação que consta da Lei de Bases da Actividade Física e do Desporto, segundo a qual “os clubes desportivos participantes em competições desportivas de natureza profissional não podem beneficiar, nesse âmbito, de apoios ou comparticipações financeiras por parte do Estado, das regiões autónomas e das autarquias locais, sob qualquer forma”.

Em causa está a cedência de perto de 12 hectares de terrenos por parte da Câmara de Braga, aprovada a 14 de Setembro com o voto favorável da maioria PSD/CDS-PP/PPM e também da CDU. Os socialistas que em 2004, então no poder, decidiram a expropriação daqueles terrenos por quase cinco milhões de euros, votaram contra, alegando que naquele espaço devia ser construído o parque da cidade.

Obras que estão decorrer excedem licenciamento da câmara [Público, 25/10/2016]

A licença que a Câmara de Braga emitiu, em Julho, para as obras da academia de formação do Sporting de Braga não autoriza a maior parte dos trabalhos em curso. O clube fez um pedido de licenciamento parcial, de acordo com o qual podia construir quatro muros de contenção e mexer nos terrenos situados à quota mais baixa, mas que não permitia a intervenção generalizada nos 11 hectares do futuro centro de treinos nem a construção de alguns edifícios, como tem vindo a acontecer.

A obra continua sem ter licenciamento final, faltando ainda os pareceres necessários da Agência Portuguesa do Ambiente e do Instituto Português do Desporto e da Juventude para que os serviços municipais possam depois passar o alvará definitivo da intervenção. Enquanto aguarda por esse processo e de modo a não perder mais tempo – o Sporting de Braga quer ter a Academia pronta em 2018 – o clube fez um pedido de licenciamento de remodelação de terrenos e execução de muros de contenção. Este procedimento foi autorizado pelo técnico responsável e validado pelo vereador do Urbanismo, Miguel Bandeira, a 14 de Junho, e comunicado ao clube a 1 de Julho.

A autorização em causa “limita-se à execução dos muros de suporte de terras designados por MS1, MS2, MS3 e MS4 e a movimentação de terras circunscrita aos campos de treino implantado à cota 118,0”, ou seja a quota mais baixa dos terrenos, lê-se no documento a que o PÚBLICO teve acesso. A realidade no local é, porém, bastante diferente, uma vez que não são apenas estes muros que estão a ser construídos, mas também as fundações dos futuros edifícios entre os quais aquele onde ficarão os serviços administrativos do clube.

Como vai ficar a Academia do Braga [O Jogo, 04/07/2016]

Confira as imagens aqui.