Religiosidade e suicídio

Um estudo publicado no British Journal of Psychiatry analisa a influência da religiosidade na morte por suicídio, concluindo que o risco de suicídio é idêntico entre católicos, protestantes e não crentes (ateus e agnósticos). A evidência produzida por estes resultados contraria a teoria do sociólogo Durkheim segundo o qual a religiosidade funcionava como elemento protetor relativamente ao suicídio. Será muito interessante explorar os mecanismos cognitivos e os factores sociais que explicam os resultados dos não crentes.

Anúncios

Um pensamento sobre “Religiosidade e suicídio

  1. Parece-me que essa teoria parte da noção que um individuo que considera o suicídio seriamente, de algum modo preserva alguma racionalidade (no sentido de atuar no seu melhor interesse). Isto poderá ser verdade nalgumas situações em que a vida de facto se tornou demasiado insuportável de viver (doença terminal ou neuro-degenerativa), mas parece-me que na esmagadora maioria das situações não o e (pela razão explicada de forma cristalina por Hamlet no seu monologo). Assim, quem chegou a esse estado já terá há muito largado todas as peias de natureza metafisica, se as tiver…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s