Investigação portuguesa sobre Doença Obsessivo Compulsiva no Top 10

Imagem

Um trabalho de investigação português sobre Doença Obsessivo Compulsiva encontra-se no Top 10 das publicações científicas de Psiquiatria mais lidas durante o ano de 2013 no grupo Frontiers. O estudo demonstra a importância do stresse e dos seus mecanismos para a Doença Obsessivo Compulsiva. Este projecto, desenvolvido por um grupo de investigadores do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Universidade do Minho e pelo seu Centro Clínico Académico (uma parceria entre a Escola de Ciências da Saúde e o Hospital de Braga), teve como ponto de partida um conjunto de investigações anteriores que demonstraram o desenvolvimento de comportamentos habituais após exposição repetida a stresse.

Para ler o artigo científico completo, basta seguir o link.

Resumo: A Perturbação Obsessivo Compulsiva é uma doença psiquiátrica crónica que se caracteriza pela presença de pensamentos ou imagens intrusivos e/ou comportamentos compulsivos repetitivos. Sabe-se que é uma doença sensível aos efeitos do stresse uma vez que os sintomas se agravam em períodos mais de maior stresse mas também porque existem várias evidências de que eventos traumáticos e/ou stressantes podem preceder o início da doença. Contudo, os estudos científicos que explorem a percepção e a resposta ao stresse neste doentes são escassos e os seus resultados são inconsistentes. Neste trabalho, caracterizámos a correlação entre os sintomas da Perturbação Obsessivo Compulsiva, os níveis sanguíneos de cortisol (um marcador biológico do stresse) e percepção de stresse avaliada com um questionário de stresse percebido (PSS-10). Os resultados demonstram que os doentes com Perturbação Obsessivo Compulsiva apresentam níveis significativamente mais elevados de cortisol sérico e também de pontuações mais elevadas na escala de stresse do que indivíduos controlos, sem a doença. Verificou-se ainda uma correlação positiva entre a pontuação na escala de stresse e a gravidade da doença, em particular do seu componente obsessivo. Estes resultados demonstram a importância do stresse e dos seus mecanismos biológicos e psicológicos para o desenvolvimento e expressão desta doença, abrindo caminho também para a possibilidade de se desenvolver um marcador biológico da resposta aos tratamentos instituídos.

Abstract: Obsessive–compulsive disorder (OCD) is a chronic psychiatric disorder characterized by recurrent intrusive thoughts and/or repetitive compulsory behaviors. This psychiatric disorder is known to be stress responsive, as symptoms increase during periods of stress but also because stressful events may precede the onset of OCD. However, only a few and inconsistent reports have been published about the stress perception and the stress-response in these patients. Herein, we have characterized the correlations of OCD symptoms with basal serum cortisol levels and scores in a stress perceived questionnaire (PSS-10). The present data reveals that cortisol levels and the stress scores in the PSS-10 were significantly higher in OCD patients that in controls. Moreover, stress levels self-reported by patients using the PSS-10 correlated positively with OCD severity in the Yale–Brown Obsessive–Compulsive Scale (Y–BOCS). Interestingly, PSS-10 scores correlated with the obsessive component, but not with the compulsive component, of Y–BOCS. These results confirm that stress is relevant in the context of OCD, particularly for the obsessive symptomatology.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s